Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Cenário ruim derruba bolsas da Ásia a menor nível em 6 semanas

As bolsas de valores da Ásia caíram ao patamar mais baixo em seis semanas nesta quinta-feira e os indicadores futuros de títulos do Japão alcançaram ponto máximo desde o colapso do Lehman Brothers, em setembro. Os negócios foram pressionados por aumento dos temores sobre uma turbulência financeira prolongada. As ações do Bank of America e do Citigroup despencaram na quarta-feira, diante de questionamentos por parte de investidores se as instituições têm capital suficiente para cobrir perdas com ativos tóxicos. "Um fluxo contínuo de dados econômicos ruins está apontando para uma recessão global mais profunda, e piorando as preocupações sobre os resultados trimestrais", disse Lee Sun-yeob, analista de mercado do Goodmorning Shinhan Securities em Seul. "Perspectivas cada vez mais baixas para os resultados bancários globais estão pressionando a confiança." O índice MSCI das principais ações da Ásia-Pacífico com exceção do Japão despencava 4,57 por cento às 7h43 (horário de Brasília), maior queda em um único dia desde meados de novembro. O MSCI atingiu na quinta-feira nível mais baixo desde 8 de dezembro, o que significa uma queda de 9 por cento no ano. A forte desvalorização da última semana e meia está prejudicando o rali que ainda registra alta de 17 por cento ante o patamar mais baixo em cinco anos atingido em novembro. No Japão, encomendas de maquinário tiveram queda recorde em novembro, mostraram dados divulgados nesta quinta-feira. O índice Nikkei, da bolsa de TÓQUIO desabou 4,9 por cento, com ações da Nissan caindo 3,4 por cento ante notícias de que registrará prejuízo operacional anual devido à queda de vendas e iene mais valorizado. A bolsa de SEUL caiu 6 por cento, enquanto SYDNEY, HONG KONG e TAIWAN recuaram, respectivamente, 4,3 por cento, 3,4 por cento e 4,4 por cento. O declínio em CINGAPURA foi de 3,4 por cento, enquanto em XANGAI, a desvalorização foi de 0,45 por cento.

RAFAEL NAM, REUTERS

15 de janeiro de 2009 | 07h57

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.