Sergio Moraes / Reuters
Sergio Moraes / Reuters

Netshoes dobra de valor com oferta da Centauro

Em disputa acirrada, rede oferece US$ 127,3 milhões por operação de varejista online; em abril, empresa quase foi vendida por US$ 62 milhões

Beth Moreira e Flavia Alemi, O Estado de S.Paulo

13 de junho de 2019 | 19h55
Atualizado 14 de junho de 2019 | 10h15

A Centauro aumentou, no início da noite desta quinta-feira, 13, a oferta pela Netshoes para US$ 4,10 por ação, ou US$ 127,3 milhões (R$ 490 milhões). Com isso, o valor pelo qual a varejista de artigos esportivos e roupas online foi avaliada inicialmente mais do que dobrou. No fim de abril, o Magazine Luiza havia oferecido US$ 62 milhões pela operação. Quando a operação parecia prestes a ser concluída, a Centauro entrou na jogada e uma guerra de propostas foi iniciada. Na manhã de ontem, o Magazine Luiza elevou seu lance para US$ 115 milhões, ou US$ 3,70 por ação.

De olho na base de dados de clientes da Netshoes, que é referência no e-commerce, as companhias vêm travando uma disputa lance a lance. Em fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o órgão regulador do mercado de capitais, a Centauro frisou seu “inequívoco interesse e apoio à combinação de negócios da Centauro e da Netshoes”.

A Netshoes, em meio à briga e às ofertas que não param de subir, tem pressa em fechar um acordo. Isso porque a empresa enfrenta problemas de caixa e não teria como recompor o estoque no curto prazo. Por isso, o conselho de administração da companhia tem recomendado uma decisão rápida. A empresa acumulou prejuízos bilionários e viu o valor de suas ações derreterem no exterior, onde tem capital aberto.

Com a apresentação da nova oferta do Magazine, na manhã de ontem, o conselho voltou a recomendar a seus acionistas que aprovassem a proposta. Ainda que Centauro seja a responsável pela elevação de valores, o negócio com a varejista de artigos esportivos é considerado mais incerto, pois poderia levar mais tempo para ser apreciado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Por isso, a Centauro não apenas elevou as propostas, mas atuou também em outras esferas. Para resolver o problema de curto prazo da Netshoes, ofereceu empréstimo de até R$ 120 milhões à Netshoes para reforçar seu capital de giro.

A Centauro afirmou ainda que, apesar da decisão de o conselho da Netshoes de recomendar aprovação da transação com a Magazine Luiza, sua proposta não oferece riscos ao fluxo de caixa e à condição financeira da Netshoes.

Na quinta-feira, o Cade publicou no Diário Oficial da União edital referente ao ato de concentração sobre a aquisição da Netshoes pela Centauro.

O Cade considerou que a operação será analisada pelo rito sumário, o que significa que a análise da transação deverá ser realizada no prazo máximo de 30 dias, a contar de 12 de junho.

O Cade precisa avaliar como ficará a concentração do setor, pois Centauro e Netshoes atuam em artigos esportivos. O mesmo problema não ocorre com o Magazine Luiza, que é conhecida como uma das grades varejistas de eletrodomésticos no País.

Por ser parte interessada, o Magazine Luiza, porém, tem a prerrogativa de apelar ao Cade em até duas semanas. Fontes informaram ao Estadão/Broadcast que a empresa fará uso dessa ferramenta, caso necessário.

Tudo o que sabemos sobre:
NetshoesCentaurocomércio exterior

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.