Silas Stein / AFP
Silas Stein / AFP

Greve em aeroportos da Alemanha afeta voos para o Brasil

Cerca de 220 mil passageiros são afetados por paralisação nesta terça-feira; voo da Latam para o Aeroporto de Guarulhos foi cancelado e outro, da Lufthansa, com destino ao Rio de Janeiro, foi adiado

EFE

15 Janeiro 2019 | 12h07

BERLIM - Cerca de 220 mil passageiros são afetados nesta terça-feira, 15, por uma greve do pessoal de segurança que está sendo realizada desde início da manhã em oito aeroportos de Alemanha, entre eles os de Frankfurt e Munique, o que forçou o cancelamento de centenas de voos. De acordo com o site do aeroporto de Frankfurt, o voo da Latam LA 8071, com destino ao Aeroporto de Guarulhos foi cancelado e outro da Lufthansa, número LH 500, com destino ao Aeroporto do Galeão, foi adiado.

Ainda há mais um voo da companhia alemã para São Paulo, número LH 506, previsto para decolar na noite de hoje, que não sofreu alterações, segundo o site.

Segundo a assessoria de imprensa do GRU Airport, a greve ainda não afetou chegadas ou partidas dos voos que estavam programados para esta terça-feira, 15. Já a assessoria do Rio Galeão informou que o voo da Lufthansa para Frankfurt, programado para partir às 20h40, horário local, segue confirmado.

A greve

O movimento é uma demonstração de força dos 23.000 funcionários do setor, que passam por negociações de um acordo coletivo para um aumento de salário bruto para 20 euros por hora em todo o país.

O sindicato do setor serviços Verdi criticou que a patronal, apesar da mobilização dos trabalhadores, não tenha apresentado ainda uma "oferta negociável".

Apenas no aeroporto de Frankfurt, o mais movimentado de Alemanha e um dos principais da Europa, foram cancelados 610 voos, cerca de metade dos planejados para o dia inteiro. O grupo Lufthansa indicou que cancelou 500 voos de sua companhia aérea homônima e 120 de sua marca de baixo custo, Eurowings, foram cancelados.

Em Frankfurt, a greve acontece das 2h local (23h, de segunda-feira em Brasília) às 20h (17h, em Brasília), enquanto em Munique, o segundo de maior tráfego da Alemanha, começou às 3h30 local e se prolongará até 20h.

O gerente da confederação dos aeroportos ADV, Ralf Biesel, criticou na segunda-feira, 14, a escala do protesto e pediu que as partes sentem-se "imediatamente" na mesa de negociações e advertiu que qualquer ataque deste tipo "implica não só pesadelo para os passageiros, mas traz uma imagem negativa de Alemanha como um destino ".

A próxima rodada de negociações está prevista para a quarta-feira, 23. 

Mais conteúdo sobre:
aviaçãoAlemanha [Europa]greve

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.