Centrais sindicais serão chamadas para discutir déficit zero

As centrais sindicais serão chamadas para discutir o plano de déficit nominal zero do deputado Delfim Netto (PP-RJ). O Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), que reúne representantes da sociedade civil, também vai promover uma reunião para debater a proposta. O deputado Delfim Netto terá reuniões com representantes de outros segmentos para apresentar as linhas do plano. Esses foram alguns pontos acertados no jantar de ontem oferecido pela Fiesp.No encontro, houve consenso de que é preciso "traduzir" melhor a proposta para a sociedade antes de avançar no elaboração do projeto. Foram mais de quatro horas de discussão no jantar, que contou com a presença de importantes empresários, deputados e senadores. Foram poucas as ausências da lista de convidados. Entre os que não compareceram, estão o empresário Antonio Ermírio de Moraes (Votorantim), Pedro Moreira Salles (Unibanco), Roberto Setúbal (Itaú), senador Delcídio Amaral (PT-MT) e o presidente do Senado, senador Renan Calheiros (PMDB-AL). Todos os treze deputados convidados compareceram, além do presidente do BNDES, Guido Mantega, e o presidente da Câmara dos Deputados, Severino Cavalcanti. Na chegada, Severino deu apoio à proposta. "Vamos fazer todo o possível para que isso aconteça". Segundo ele, é possível aprová-la ainda este ano. "Quando se tem boa vontade tudo se consegue. O presidente (Lula) tem de encontrar alguma coisa concreta e essa proposta do Delfim é concreta e vai criar novas esperanças para o povo brasileiro", disse. Severino chegou a dizer que a Câmara vai dar a sua contribuição e reduzir os seus gastos. "Eu vou mostrar para todo o Brasil que nesses primeiros seis meses da minha administração conseguimos poupar várias despesas. E dá para economizar mais", afirmou ele, que não quis, porém, apresentar os números.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.