Centro de distribuição da Garoto vai trabalhar em três turnos

O temor das demissões dentro da fábrica da Chocolates Garoto por conta da compra da empresa capixaba pela Nestlé já foi dissipado. O termômetro é o centro de distribuição da Garoto, instalado no Parque Novo Mundo, em São Paulo. Antes da aquisição, os 70 funcionários que operavam em dois turnos estavam ameaçados de perder o emprego. A injeção de investimentos da suíça reativou os negócios com agilidade. A partir de hoje o centro, que funcionava em dois períodos, das 6 horas às 14 horas e das 14 horas às 22 horas, ganhou um terceiro turno e não vai mais fechar. Foram contratados mais 20 funcionários para atenderem a demanda que não pára de crescer. "O aumento nas vendas e a rotatividade das mercadorias obrigou a direção a contratar", afirma Carlos Vicente de Oliveira, tesoureiro-geral do Sindicato dos Empregados em Empresas de Industrialização de São Paulo e Região (Sindeeia).Oliveira, que negocia com a direção das empresas a data-base do setor, também garante que o quadro de funcionários da companhia, em Vila Velha (ES) "se mantém estável". Os negócios deslancham também no mercado externo. A Nestlé tem como meta praticamente dobrar os embarques de chocolates da marca Garoto até o final deste ano e passar de 10,5 mil toneladas para 20 mil toneladas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.