CEOs dizem que pacote fiscal dos EUA deve incluir mais impostos

O apoio ao aumento de impostos é raro entre as corporações dos EUA e difere da posição de grandes grupos, como a Câmara de Comércio norte-americana

Reuters,

21 de abril de 2011 | 19h33

Executivos de grandes corporações, incluindo alguns das 500 maiores empresas da Fortune, avaliam que os esforços do governo dos Estados Unidos para lidar com a dívida federal deve incluir novos impostos.

O apoio ao aumento de impostos é raro entre as corporações dos Estados Unidos e difere da posição de grandes grupos empresariais, como a Câmara de Comércio norte-americana.

Mais de 100 executivos, incluindo diretores-executivos da Manpower e da Tenet Healthcare, apoiam uma mescla de corte de gastos e aumento de impostos como parte de um plano para aplacar a dívida pública de 14,3 trilhões de dólares.

"Vamos criar um ambiente com tudo à mesa," disse Carl Camden, CEO da Kelly Services, a jornalistas sobre a iniciativa. "Vamos examinar a receita dos impostos e os cortes nos gastos."

O grupo de executivos foi reunido pelo Comitê para o Desenvolvimento Econômico, uma organização política apartidária liderada por empresários. Alguns pesos-pesados republicanos, incluindo Glenn Hubbard, ex-assessor econômico do presidente republicano George W. Bush, também se comprometeram com o esforço.

Eles convocaram democratas e republicanos a participarem das conversações bipartidárias sobre redução do déficit propostas pelo presidente Barack Obama.

O rebaixamento da perspectiva da nota de crédito do governo norte-americano pela Standard & Poor's nesta semana aumentou a pressão sobre os congressistas para que fechem um acordo para reduzir o déficit federal e a dívida no longo prazo antes das eleições de 2012.

A agência citou a falta de confiança em tal acordo como motivo para a medida.

Os impostos são um ponto-chave e motivo de divergência entre os partidos: a maioria dos republicanos se recusa a aceitar o aumento de taxas como parte de qualquer plano de redução de déficit.

Por Kim Dixon

Tudo o que sabemos sobre:
pacoteEUAEstados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.