Cepal alerta que alta de alimentos elevará pobreza na A.Latina

O forte avanço dos preçosinternacionais dos alimentos está castigando os mais pobres daAmérica Latina e do Caribe, que podem aumentar em númeroabsoluto se os governos não tomarem nenhuma medida, advertiunesta sexta-feira a Cepal. O secretário executivo de Comissão Econômica para AméricaLatina e Caribe (Cepal), José Luis Machinea, disse que oaumento dos preços dos alimentos acelerou nos últimos 12 mesese é especialmente preocupante no caso do milho, trigo, arroz edas oleoginosas, que formam a base da dieta de milhões delatino-americanos. Partindo das projeções de indigência realizadas em 2007, aCepal calcula que um aumento de 15 por cento nos preços dosalimentos elevará o número de indigência em mais de 3 pontospercentuais, de 12,7 por cento a 15,9 por cento, disseMachinea. Implicando que essa alteração nos preços levaria 15,7milhões de latino-americanos para a situação de indigência. "Isto representa um situação dramática para um grandenúmero de pessoas", disse Machinea. A Cepal recomendou que as políticas públicas deveriamincluir ações que diminuam as altas do preços do alimentos nosmercados internos e/ou melhore a renda da população,especialmente dos mais necessitados. Entre as ações possíveis, a instituição destacou reduçõesde impostos sobre o consumo, assim como subsídios focalizadosem certos setores. (Reportagem de Rodrigo Martínez)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.