Cepal: Brasil vai liderar crescimento da AL em 2010

A América Latina e o Caribe vão ter uma recuperação de suas economias mais rápida do que se previa durante os piores momentos da crise internacional. Em 2010, a região deve crescer 4,1% e o Brasil vai liderar a lista dos países que mais avançarão, conforme as últimas projeções da Comissão Econômica para a América Latina e Caribe (Cepal), divulgadas nesta quinta-feira.

MARINA GUIMARÃES, Agencia Estado

10 de dezembro de 2009 | 17h35

Segundo a análise da Cepal, a expansão da economia do Brasil está estimada em 5,5% e será seguida pelo Peru e Uruguai, cada um com crescimento de 5%. A Bolívia, o Chile e o Panamá devem avançar 4,5% cada um, enquanto Argentina e Suriname devem ter expansão de 4%. O México, por sua vez, crescerá 3,5%, assim como a Costa Rica e a República Dominicana.

No balanço preliminar das economias da América Latina e Caribe 2009, a comissão regional das Nações Unidas projeta taxas positivas para a maior parte dos países, mas pondera que ainda existem dúvidas sobre a sustentabilidade dessa recuperação no tempo. A advertência se deve às persistentes incertezas geradas pelo cenário externo, que poderiam afetar as expectativas de crescimento da região.

"O pior da crise ficou atrás", reconheceu a secretária-executiva da Cepal, Alicia Bárcena, durante a exposição do relatório, em Santiago do Chile, sede da entidade. "Os motores de crescimento já foram ligados novamente, mas não se sabe quanto vai durar o combustível", alertou.

O documento destaca que em 2010 "a reativação será mais notória na América do Sul e América Central (excluindo o México), que alcançariam taxas de crescimento de 4,7% e 3,0%, respectivamente". A performance da economia do Caribe será inferior, de 1,8%, conforme a Cepal.

Tudo o que sabemos sobre:
PIBAmérica LatinaCepal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.