Cepal melhora previsão de crescimento para a América Latina

As economias dos países latino-americanos crescerão 0,2 ponto percentual a mais que o 4,1% previsto originalmente, disse hoje o secretário-executivo da Comissão Econômica Para a América Latina e o Caribe (Cepal), José Luis Machinea. A Cepal calcula que o crescimento será de 4% a 4,5%, e Machinea ressaltou que ficará muito próximo do 4,3%.Machinea acrescentou que a melhora nas projeções é baseada na redução das taxas de juros observadas em alguns dos principais países da região, como Brasil e México, o que, na sua opinião, representa um cenário "um pouco mais otimista"."É provável que países como o México e a Argentina cresçam um pouco mais que o previsto", especificou o economista argentino, que falou com a imprensa após participar da apresentação de um livro sobre vulnerabilidade externa e políticas de prevenção, no Banco Central do Chile.No ano passado, a economia latino-americana cresceu 4,3%, e vários países avançaram acima do esperado, o que, de acordo com José Luis Machinea, deve ter "um efeito de arrasto" em 2006.No caso da Argentina, o secretário-executivo do órgão das Nações Unidas disse que poderia crescer este ano cerca de 7%, em vez do 6% projetado no relatório que a Cepal divulgou em dezembro passado. Do mesmo modo, disse que o crescimento do Chile poderia estar mais perto do 6% que do 5,5% previsto nesse relatório.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.