Cervejaria terá três marcas globais: Stela Artois, Becks e Brahma

A nova cervejaria InterbrewAmBev, criada a partir da união da brasileira com a belga, contará com três marcas globais: a belga Stela Artois, a alemã Becks e a brasileira Brahma. Essa é a primeira vez, de acordo com a AmBev, que uma cerveja brasileira será vendida em todo o mundo. De acordo com a companhia, essa penetração facilitará a entrada de outras marcas da empresa brasileira no mercado externo, especialmente do Guaraná Antarctica. As operações serão comandadas a partir do Brasil, que será responsável pelos negócios das três Américas, e também da Bélgica, que cobrirá os negócios na Europa e Ásia. Pelos cálculos das companhias, serão geradas economias da ordem de US$ 350 milhões por conta das sinergias proporcionadas pela união. Esses ganhos advêm de licenciamento de marcas, como o da Brahma, para novos mercados, além de compartilhamento de melhores práticas empresariais entre os dois grupos. Juntas, as cervejarias terão cerca de 70 mil empregados e estarão presentes em 32 países. A AmBev e a Interbrew estão presentes em seis dos sete mercados que crescem mais rapidamente, segundo comunicado distribuído pela companhia brasileira. Essa presença representa 77% da expectativa de crescimento global. A China, onde a empresa resultante estará presente, possui uma participação de 48% em cada 100 novos litros de consumo de cerveja. O Brasil tem fatia de 10%, o México, de 7%, a Rússia, de 6%, os Estados Unidos, de 3%, a Polônia, de 3% e a Ucrânia, de 3%. Leia maisFusão AmBev/Interbrew é destaque na EuropaAmBev tem lucro líquido de R$ 1,411 bilhões em 2003AmBev não está sendo comprada, diz InterBrewLucro da Interbrew subiu 9,1% em 2003, abaixo do esperadoAções da Interbrew caem 5,35% com anúncio de acordoAmbev e Interbrew anunciam termos de troca de açõesAmbev admite vazamento de informações sobre fusãoAmbev será investigada por uso de informação privilegiadaAmBev anuncia que negocia várias operações com InterbrewNegociação AmBev-Interbrew derruba ações na Bélgica

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.