Divulgação
Divulgação

Cervejeiros inovam para vender nos EUA

Artesanal Way Beer aposta em insumos nacionais para concorrer com mercado que está consolidado

O Estado de S. Paulo

15 de dezembro de 2015 | 03h00

Ter um rótulo vendido em alguma prateleira nos Estados Unidos sempre foi uma meta para os sócios e fundadores da cervejaria artesanal paranaense Way Beer, que nasceu há cinco anos. Em outubro de 2015, o primeiro lote de 7 mil litros foi enviado para São Petersburgo, no estado da Flórida. São sete rótulos, quatro deles produzidos com exclusividade para o país. 

Além dos Estados Unidos, negociações com Reino Unido, Suécia e países asiáticos estão a caminho para que, no próximo ano, as exportações representem 15% do faturamento da empresa, que produziu em média 400 mil litros em 2015.

“Sempre tivemos a ideia de exportar, mas sabíamos que era preciso ter um know how, uma base sólida, uma história para contar. Durante cinco anos, construímos essa bagagem”, conta Alejandro Winocur, sócio-proprietário da Way Beer. 

Para entrar no mercado norte-americano, Winocur e seu sócio Alessandro Oliveira firmaram uma parceria com a importadora Shelton Brothers e investiram em uma cartela de rótulos com variáveis pouco comuns por lá. “Sabemos que não adianta mandar nossa American Pale Ale. Nos Estados Unidos são feitas as melhores do mundo. Ficou claro que precisávamos mandar um produto de alta qualidade”, reflete o empresário. “Por isso, apostamos em cervejas com toques de frutas, sementes e maturação em madeiras tipicamente brasileiras.” 

As perspectivas da Way Beer são ambiciosas para o mercado externo no decorrer dos próximos anos. Alejandro pretende enviar dez containers para os Estados Unidos em 2016, um salto considerável diante dos dois exportados durante 2015.

Mais conteúdo sobre:
exportaçãofóruns estadão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.