Cesta básica aumenta em maioria das capitais em fevereiro

O preço médio da cesta básica subiu em fevereiro em 13 das 16 capitais brasileiras pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), na comparação com janeiro. Segundo a Pesquisa Nacional de Cesta Básica, divulgada nesta terça-feira, 6 pela instituição, as maiores elevações foram apuradas em Fortaleza (11,51%), Recife (8,61%), Natal (5,88%) e Belo Horizonte (5,18%). As quedas foram apuradas em Porto Alegre (-0,81%), Aracaju (-0,76%) e Florianópolis (-0,09%).Nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, a cesta apresentou elevações menos expressivas, de 0,63% e 0,67%, respectivamente. Em Brasília, por sua vez, houve alta de 2,10%.No primeiro bimestre de 2007, a cesta básica registrou elevação em 15 capitais, parte delas com aumentos muito expressivos, como é o caso de Recife (12,7%), Vitória (9%), Belo Horizonte (8,09%) e Fortaleza (7,53%). Apenas em Porto Alegre (-0,74%), a variação acumulada foi negativa. Em São Paulo, houve alta de 2,15%; no Rio de Janeiro, de 3,68%; e, na capital federal, de 3,04%.Nos últimos 12 meses encerrados em fevereiro, nenhuma localidade apresentou variação acumulada negativa. As maiores elevações foram apuradas em Recife (17,00%), Belo Horizonte (13,90%), Belém (12,64%), Fortaleza (12,10%), Salvador (11,79%) e Porto Alegre (11,22%).A menor alta do período foi verificada em Brasília (1,69%) e as capitais paulista e fluminense tiveram cestas com elevação acumulada de 5,94% e 2,94%, respectivamente.Cesta mais caraApesar de apresentar a segunda variação positiva de preços menos expressiva, a cesta de São Paulo foi a mais cara do Brasil em fevereiro. No encerramento do mês passado, o custo médio do conjunto de produtos alimentícios essenciais na capital paulista atingiu R$ 185,96, o que significou elevação de 0,67% sobre o valor verificado em janeiro e fez com que a cidade ultrapassasse Porto Alegre no ranking das cestas brasileiras com valor mais expressivo.A capital gaúcha, que apresentou cesta com preço médio mais alto durante três meses consecutivos, ficou na terceira posição do ranking em fevereiro, com valor médio de R$ 184,85. Foi superada também por Belo Horizonte (R$ 185,37) e seguida pelo Rio de Janeiro (R$ 177,69) e Brasília (R$ 177,08). João Pessoa (R$ 141,54) e Aracaju (R$ 141,66) apresentaram os menores valores para os alimentos essenciais.Tomate e café em altaDe acordo com o Dieese, entre os produtos que se destacaram pela variação positiva, em fevereiro, o tomate e o café mereceram maior atenção. A instituição ressaltou, entretanto, que poucos produtos tiveram comportamento predominantemente de alta no mês passado.O preço do tomate subiu em 15 capitais, sendo que, em nove, a alta superou 20%. Com aumento em 13 cidades, o café registrou as variações mais significativas em Curitiba (26,15%), Rio de Janeiro (14,63%) e Belo Horizonte (11,97%).Outro produto citado foi o pão, com aumento de preços em 12 localidades, com destaque para Porto Alegre (4,34%), Recife (3,61%) e João Pessoa (2,30%). Quanto às quedas, o Dieese informou que o comportamento mais marcante ocorreu com a carne, produto de maior peso da cesta e que está em plena safra. Dez capitais registraram baixa no preço deste item. Também o feijão, que se encontra em período da safra principal, e o açúcar, recuaram em dez capitais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.