Cesta básica aumentou 47% em oito anos do real

A Fundação Procon-SP, órgão de defesa do consumidor ligado ao governo estadual, constatou que o custo médio da cesta básica apresentou, em oito anos do Plano Real, variação de 47,07%. O dado é referente ao período compreendido entre 1º de julho de 1994 e 28 de junho de 2002. O consumidor que, no dia 30 de junho de 1994, gastava R$ 106,40 para adquirir a cesta básica, passou a dispender R$ 156,48. A maior variação foi do grupo Limpeza com 65,07%, seguido do grupo Higiene Pessoal com 62,84% e do grupo Alimentação com 42,98%. Com grande diversidade de marcas no mercado, tanto os produtos de higiene como os de limpeza apresentaram tendência de alta no período, com destaque para o papel higiênico, que teve a maior alta desses grupos: 124,44%. Embora com uma variação menor em relação aos dois outros grupos mencionados (42,98%), os produtos do grupo Alimentação tiveram maior influência na alta da cesta, considerando os produtos com maiores pesos na variação. É o caso da carne bovina e do arroz. Tanto o arroz como o feijão, componentes tradicionais na alimentação do consumidor brasileiro, apresentaram alta neste período de oito anos, ocasionados principalmente por fatores climáticos. No período de 1º de julho de 1994 a 28 de junho de 2002, o arroz tipo 2 teve variação de 61,33% e o feijão carioquinha, 88,17%. Já a carne de primeira sofreu variação de 65,91% e a carne de segunda (sem osso) 64,53% no mesmo período.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.