Cesta básica aumentou nas capitais

Segundo pesquisa realizada mensalmente pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos (Dieese), em todas as dezesseis capitais, o preço do conjunto dos produtos alimentícios que compõem a cesta cásica aumentou. As altas mais significativos foram apuradas em Fortaleza (7,86%), Florianópolis (6,77%) e São Paulo (4,22%). As menores variações ocorreram em Belém (0,20%) e em Brasília (0,82%).No acumulado do ano, apenas em Natal foi verificada uma redução do preço da cesta básica, que foi de 0,29%, enquanto que as maiores altas ocorreram em Belo Horizonte (11,78%), Curitiba (9,15%) e Fortaleza (9,03%).Entre os componentes que apresentaram a maior alta nas capitais pesquisadas, o tomate foi um dos itens que contribuíram no aumento do custo da cesta básica em 15 capitais, refletindo ainda os efeitos das geadas ocorridas em julho. O açúcar apresentou alta em catorze capitais, ainda que seus aumentos tenham sido menores que os do tomate. Três outros produtos - a banana, o feijão e a manteiga - também apresentaram alta em nove capitais. Aumentos em São PauloO custo da cesta básica na capital paulista alcançou, em setembro, o maior valor desde a implantação do Plano Real, com R$ 119,47, em conseqüência de uma aumento de 4,22%, em relação ao mês anterior. Neste ano, a alta alcança 6,71% e em doze meses atinge 10,45%.Dentre os treze produtos que compõem Cesta Básica em São Paulo, apenas dois tiveram queda: óleo de soja (-0,96%) e arroz agulhinha (-1,27%). O leite tipo C manteve seu preço inalterado. Os outros dez produtos registraram elevações: ItensElevação (%)batata 22,22%Tomate 21,43%Açúcar refinado 8,24%feijão carioquinha5,95%farinha de trigo3,47%café em pó1,93%pão francês1,77%carne bovina de primeira1,32%banana nanica0,80%manteiga 0,11%

Agencia Estado,

03 de outubro de 2000 | 20h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.