Cesta básica cai em 13 de 16 capitais em 2006

O preço da cesta básica apresentou declínio no ano passado ante 2005 em 13 das 16 capitais brasileiras pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Levantamento divulgado nesta terça-feira pela instituição mostrou que, no encerramento de 2006, foram verificados aumentos no conjunto de produtos alimentícios essenciais somente em Natal (3,53%), Goiânia (2,23%) e Belém (0,25%), enquanto as quedas mais expressivas foram constatadas em João Pessoa (-7,41%), Recife (-5,82%), Aracaju (-5,29%) e Curitiba (-5,05%).De acordo com a Pesquisa Nacional da Cesta Básica, houve ainda baixas de 3,76% nos preços no Rio de Janeiro; de 3,05% em Belo Horizonte; e de 3,02% em Brasília. Em São Paulo, a cesta apresentou recuo menor, de 0,75%, ante o fechamento do ano anterior.O Dieese destacou que o comportamento de 2006 é "bem diferente" do verificado em 2005, quando todas as localidades pesquisadas haviam registrado aumentos, que variaram de 0,15% a 16,16%, no custo da cesta. A instituição destacou também que, nas cidades em que a cesta ficou mais cara em 2006, as elevações foram "bem inferiores" ao aumento, de 16,67%, concedido pelo governo federal ao salário mínimo a partir de abril do ano passado.DezembroNa comparação entre dezembro e novembro de 2006, o estudo do Dieese apontou queda em 12 das 16 capitais pesquisadas. Em quatro delas, houve aumento: Fortaleza (2,82%), Goiânia (2,19%), Natal (2,13%) e Belém (0,44%).As baixas mais significativas foram verificadas em Florianópolis (-5,43%), Aracaju (-5,38%) e Curitiba (-5,34%). São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília tiveram as cestas com recuos de 1,75%, 4,30% e 1,09%, respectivamente.O Dieese realizou a Pesquisa Nacional da Cesta Básica nas cidades de Aracaju, Belém, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Goiânia, João Pessoa, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo e Vitória.Cesta mais caraA cidade de Porto Alegre apresentou em 2006 a cesta básica mais cara do Brasil pelo terceiro ano consecutivo. De acordo com estudo do Dieese, o preço médio do conjunto de produtos alimentícios essenciais na capital gaúcha atingiu R$ 186,23 em dezembro do ano passado. No mesmo período de 2005, os mesmos itens custavam R$ 191,30 e, em dezembro de 2004, R$ 174,75.Entre as 16 capitais pesquisadas pelo Dieese, São Paulo repetiu também as colocações dos últimos dois anos e ficou com o segundo posto entre as cestas com o preço mais elevado. Na capital paulista, o valor médio do conjunto de produtos alcançou R$ 182,05 no final de 2006 ante R$ 183,43 em dezembro do ano anterior e R$ 172,20 no mesmo mês de 2004.Na outra ponta, Recife apresentou a cesta mais barata de 2006, com valor médio de R$ 132,14. Em 2005, o menor preço havia sido registrado em Fortaleza (R$ 133,04). Em 2004, com uma cesta com valor médio de R$ 122,99, a capital pernambucana ficou com o posto.Em 2006, Brasília, Belo Horizonte e Rio de Janeiro foram as outras capitais que tiveram a cesta básica com preço médio superior a R$ 170. Na capital federal, a cesta atingiu R$ 171,85; na capital mineira, R$ 171,49; e, no Rio de Janeiro, R$ 171,39. Matéria alterada às 15h23 para acréscimo de informações

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.