Cesta básica de SP atinge maior preço do Real

A cesta básica do paulistano atingiu hoje o maior valor desde o início do Plano Real. De acordo com a pesquisa diária da Fundação Procon-SP, órgão de defesa do consumidor ligado ao governo estadual, em convênio com Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos (Dieese), O preço médio, que era de R$ 171,16 passou para R$ 172,81.Segundo a pesquisa do Procon-SP, o custo mínimo da cesta básica do paulistano hoje é de R$ 118,93 e o máximo R$ 241,94, diferença de 103%. No mês, a cesta básica variou 2,15% (base 30/08/2002), e nos últimos 30 dias, 2,74% (base 23/08/2002). No ano, a cesta básica variou 9,24%. A variação acumulada desde a implantação do Plano Real é de 62,42% (base 30/06/1994). Dos 68 itens pesquisados 21 tiveram alta, 23 baixaram de preço e 24 permaneceram estáveis, informa o Procon-SP. Os maiores aumentos registrados pelas pesquisa foram: a batata (6,52%); o papel higiênico fino branco Gardênia (5,78%); e o arroz tipo 2 (2,51%). As maiores quedas foram: o alho (-2,31%); o absorvente aderente sempre livre (-2,23%); e a farinha de mandioca torrada Hikari (-1,23%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.