Cesta básica no 2º maior valor do Real

O custo médio da cesta básica atingiu ontem o segundo maior valor desde a implantação do Real e o mais alto do ano, de R$ 139,89, segundo levantamento da Fundação Procon/Dieese. A maior média calculada desde o real é de R$ 139,91, registrada em 27 de dezembro do ano passado.Nos últimos 30 dias, a cesta acumula aumento de 6,02%. No ano, a variação é de 0,64% e, em 12 meses, de 15,49%. Desde o início do mês, o custo médio apresenta alta de 3,20%. O aumento de ontem foi de 0,98% em relação à segunda-feira. A variação acumulada desde a existência do Real é de 31,48%.Os produtos que mais pressionaram a alta de ontem, considerando seus respectivos pesos no cálculo da cesta, foram a carne de segunda sem osso (com aumento de 2,54%), o biscoito maisena (5,63%) e o sabão em barra (3,70%). No mês, os produtos que mais contribuíram com o acumulado de 3,20% foram o frango resfriado (14%) a carne de segunda sem osso (7,06%) e o feijão carioquinha (15%).Procon diz que alta não deve continuarA alta ocorre num mês em que, tradicionalmente, o custo médio apresenta queda. No ano passado, em 19 de agosto, o preço registrado foi de R$ 119,82, o mais baixo de 1999. Um fator não relacionado à sazonalidade que contribui para esse aumento é a concentração de altas de produtos com peso maior no cálculo e de valor absoluto maior.A técnica de estudos e pesquisas do Procon Neide Ayoub explica que a alta não deve manter o ritmo por muito tempo, visto que o consumidor está arcando também com aumentos em serviços que não podem ser substituídos, como telefone e energia elétrica, tendendo a reduzir, ainda que pouco, o consumo de alimentos que possam ser trocados por outros mais baratos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.