Cesta básica sobe 0,62% na 1ª semana de março em São Paulo

O preço da cesta básica do paulistano apresentou elevação de 0,62% na primeira semana do mês, conforme levantamento diário da Fundação Procon-SP, realizado em convênio com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos (Dieese). Segundo a pesquisa divulgada nesta manhã, o valor médio, que no dia 24 de fevereiro era de R$ 209,63, passou para R$ 210,94 no dia 3 de março.Por grupo, a fundação, que é ligada à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo, constatou alta de 0,84% nos preços da Alimentação, elevação de 1,26% em Limpeza e queda de 1,87% em Higiene Pessoal. Dos 31 itens pesquisados, na variação semanal, 19 apresentaram alta, nove diminuíram de preço e três permaneceram estáveis.Os itens que mais subiram foram o biscoito maisena (pacote de 200 gramas), com variação de 4,17%; o arroz tipo 2 (pacote de 5 quilos), com 4%; o extrato de tomate (embalagem de 350 a 370 gramas); 3,94%; a lingüiça fresca (quilo), 3,52%; e o leite em pó integral (embalagem de 400 a 500 gramas), 3,19%.Os produtos que tiveram queda mais significativa foram o papel higiênico fino branco (pacote com quatro unidades), que recuou 4,79%; o frango resfriado interior (kg), com declínio de 2,17%; a carne de primeira (kg), em baixa de 1,91%; e a margarina (pote de 250 gramas), com redução de 1,37%.Os artigos que mais pressionaram o aumento no preço na cesta básica no período, considerando os respectivos pesos na cesta, foram o arroz tipo 2 (pacote de 5 quilos), o leite em pó integral (embalagem de 400 a 500 g), o sabão em pó (pacote de 1 kg), o item ovos brancos (dúzia) e o biscoito maisena (pacote de 200 g).De acordo com a Fundação Procon-SP, a variação acumulada da cesta no mês de março é de 0,75% (base 28/2/2005). Nos últimos 12 meses, acumula baixa de 1,05%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.