bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Cesta básica sobe em 14 capitais em setembro, aponta Dieese

Porto Alegre lidera ranking dos preços elevados, com cesta a R$ 206; João Pessoa e Recife têm as mais baratas

Flavio Leonel, da Agência Estado,

04 de outubro de 2007 | 14h12

O preço médio da cesta básica subiu em 14 de 16 capitais pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) em setembro, na comparação com agosto. As maiores altas foram verificadas em Fortaleza (4,39%), Vitória (4,29%) e Aracaju (4,20%). Em duas capitais a cesta ficou mais barata: João Pessoa (-4,36%) e Recife (-2,75%).Nos primeiros nove meses de 2007, todas as 16 capitais pesquisadas acumulam alta no custo da cesta básica apurado pelo Dieese. As maiores elevações ocorreram em Natal (15,85%), Aracaju (14,20%), e Vitória (13,77%). Os menores aumentos foram verificados em Brasília (2,75%), Goiânia (4,49%), Curitiba (5,14%), Belo Horizonte (5,29%) e Belém (5,36%). Nas capitais paulista e fluminense, as variações foram de 6,75% e 9,66%, respectivamente.   No acumulado de 12 meses até setembro, também foi observado aumento de preços em todas as capitais, sempre com aumentos que superaram a correção de 8,57% aplicada para o salário mínimo este ano. As altas mais expressivas foram verificadas em Natal (25,48%), Vitória (20,13%) e Aracaju (19,93%). Em São Paulo, a cesta acumulou alta de 12,92%; no Rio de Janeiro, de 15,07%; e em Belo Horizonte, de 12,04%.     Mais cara     A cidade de Porto Alegre manteve, em setembro, pelo sétimo mês consecutivo, o posto de capital brasileira com a cesta básica mais cara do Brasil. Conforme o levantamento do Dieese, a capital gaúcha liderou o ranking, mesmo depois de apresentar a menor variação (0,19%) entre as localidades que tiveram elevação no preço médio da cesta.   No mês passado, o preço da cesta em Porto Alegre atingiu R$ 206,78, muito acima do preço observado na segunda capital mais cara, São Paulo, onde o conjunto de produtos alimentícios essenciais custou, em média, R$ 194,34. Na seqüência, com valores ainda acima de R$ 180, ficaram a cidade do Rio de Janeiro (R$ 187,95), Florianópolis (R$ 184,95) e Belo Horizonte (R$ 180,57).   Acima de R$ 170, ficaram as cidades de Vitória (R$ 179,95), Curitiba (R$ 176,62) e Brasília (R$ 176,57). João Pessoa (R$ 144,64), Recife (R$ 145,15), Fortaleza (R$ 147,75) e Salvador (R$ 148,06) foram as capitais com as cestas básicas mais baratas do País em setembro.

Tudo o que sabemos sobre:
Cesta básicaDieese

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.