Cesta básica subiu até 30% em um ano

O preço da cesta básica consumida pelo brasileiro subiu até 30% nos últimos 12 meses encerrados em abril. Só em quatro meses, de janeiro a abril deste ano, a alta beira a 20%, apontou a Pesquisa da Cesta Básica do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). O órgão apura a variação dos preços de 13 alimentos básicos em 16 capitais. Em abril, o valor da cesta básica aumentou em todas as cidades pesquisadas.?O que chama atenção é magnitude da variação em 12 meses e este ano?, diz o coordenador da pesquisa, José Maurício Soares. Das 16 capitais pesquisadas, a maior alta de preço da cesta básica em 12 meses até abril foi verificada em Belo Horizonte (29,79%). Fortaleza teve o maior aumento da cesta básica este ano (19,25%) e em abril (7,84%). São Paulo, onde a cesta em abril custava R$ 227,81, a segunda mais cara do País, perdendo só para Belo Horizonte, a alta foi de 1,73% no mês, apesar do aumento de 20,66% em 12 meses e 6,14% no ano.A elevação da cesta básica em todas as capitais em 12 meses supera de longe a variação do salário mínimo no mesmo período, que foi de 9,21%, observa o economista. Ele destaca, por exemplo, que carne, leite, feijão, pão e óleo de soja subiram em todas as capitais nos últimos 12 meses até abril. O preço do arroz, que virou foco de preocupação mundial, subiu em 15 capitais nos últimos 12 meses. ?Só não aumentou em Aracaju (SE).? Soares diz que os aumentos generalizados são fruto de problemas climáticos que afetaram a produção, de pressões no mercado internacional e da elevação de insumos como adubos, fertilizantes e derivados de petróleo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.