Cesta de consumo da Abras sobe mais no NE em maio

A cesta de consumo na Região Nordeste registrou alta de 1,62% em maio ante abril, a maior variação de acordo com o AbrasMercado, conjunto de 35 produtos de largo consumo, analisada pela GfK a pedido da Associação Brasileira de Supermercados (Abras). O preço da cesta aumentou de R$ 267,41 para R$ 271,73.

VANESSA STECANELLA, Agencia Estado

27 de junho de 2012 | 14h41

No Sudeste, o conjunto de produtos ficou 1,53% mais caro, passando de R$ 297,56 para R$ 302,10. O Centro-Oeste e o Norte tiveram aumento de 0,62% e 0,61%, respectivamente, para R$ 308,35 e R$ 366,49.

O presidente da Abras, Sussumu Honda, explica que o Norte do País conta com o fator logístico para encarecer as compras, já que as mercadorias demoram mais para chegar até a região. "Temos relatos de supermercadistas locais que esperam até 15 dias para receber um pedido", disse.

Em maio, o AbrasMercado subiu 0,79% em relação a abril deste ano. Já na comparação com maio de 2011, o indicador registrou crescimento de 6,46%, passando R$ 299,78 para R$ 319,15.

Os produtos com as maiores altas em abril na comparação com março foram tomate (+16,62%), cebola (+ 12,28%) e margarina cremosa (+4,88%). No mesmo comparativo, as maiores quedas foram sabão em pó (-1,91%), batata (-1,65%) e frango congelado (-1,27%).

Prognósticos

Sussumu Honda contou que, em conversas informais, alguns supermercadistas sinalizaram que as vendas "estão indo muito bem neste mês." Diante da expectativa com os dados de junho, ele preferiu cravar uma nova projeção anual do setor só no mês que vem, com os números do primeiro semestre. Já admitiu, porém, uma nova leitura devido ao comportamento do setor nos primeiros cinco meses. "Vamos revisar no próximo mês e, provavelmente, para um patamar melhor."

Até agora, a Abras prevê uma expansão das vendas entre 3,5% e 4% neste ano em relação a 2011. De janeiro a maio, os supermercados tiveram aumento de 6,81% ante igual período do ano passado. Todos os índices estão deflacionados pelo IPCA (inflação oficial medida pelo IBGE).

Tudo o que sabemos sobre:
Abrasvendascestaregiões

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.