Cesta do Fecomercio subiu 0,44% em maio

A cesta de compras medida pela Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP) registrou em maio uma alta de 0,44%, sinalizando o desaquecimento da inflação que se verificou desde o final do ano passado. Foi a menor variação mensal do ano, que acumula uma alta de 7,18%. Em abril, a cesta tinhasubido 1,61%. A desaceleração média dos 35 produtos dos segmentos de Alimentos, Limpeza e Higiene Pessoal que compõem a cesta está associada ao comportamento dos preços dos alimentos. A Fecomercio avalia que os produtos entraram em uma fase de acomodação. Os supermercados, que vinham praticando reajustes em porcentuais maiores que os demais segmentos varejistas, teriam interrompendo este movimento, por conta da forte retração da demanda.A queda só não foi maior porque dois importantes produtos da cesta básica, o arroz e o feijão, ainda registraram pressão altista. Juntos os produtos subiram 10,56% no mês passado, o que contribuiu para que as cestas dos trabalhadores de menor renda tivessem uma variação maior. Para famílias que ganham até 3 salários, a alta foi de 0,77%, e de 3 a 5 salários mínimos, 1,36%. Para as famílias de melhor poder aquisitivo (ganhos acima de 20 salários mínimos), a variação quadrissemanal foi negativa (-0,80%), uma vez que produtos com peso maior em sua cesta tiveram queda ou altas pequenas, como carne de primeira (-2,80%), frutas (-0,19%) e produtos de higiene (0,61%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.