Cesta no Sudeste tem maior alta em junho, apura Abras

A cesta de consumo na Região Sudeste subiu 1,02% em junho ante maio e teve maior variação no período, de acordo com o AbrasMercado, um conjunto de 35 produtos de largo consumo que é analisado pela GfK a pedido da Associação Brasileira de Supermercados (Abras). O preço da cesta aumentou de R$ 302,10 para R$ 305,19.

VANESSA STECANELLA, Agencia Estado

31 de julho de 2012 | 14h03

A segunda maior alta (+0,84%) foi no Sul, passando de R$ 340,48 para R$ 343,34 no período. No Nordeste, a cesta aumentou 0,66%, de R$ 271,73 para R$ 273,73. O Norte manteve o posto de conjunto mais caro, apesar da queda de 0,62% de um mês para outro, cedendo de R$ 366,49 para R$ 364,20. O Centro-Oeste também apresentou recuo de 0,11%, para R$ 308,00.

O presidente da Abras, Sussumu Honda, explica que o Norte conta com o fator logístico para encarecer as compras, já que as mercadorias demoram mais para chegar até a região. "Temos relatos de supermercadistas locais que esperam até 15 dias para receber um pedido."

Em junho, o AbrasMercado subiu 0,33% em relação a maio deste ano. Já na comparação com junho de 2011, o indicador avançou 7%, passando de R$ 299,24 para R$ 320,20.

No mesmo comparativo, os produtos com as maiores altas são batata (+29,55%), tomate (+16,69%) e ovo (+3,56%). Os produtos com as maiores quedas: cebola (-6,21%), carne traseira (-3%) e desinfetante (-2,09%).

Tudo o que sabemos sobre:
SupermercadosvendasAbrasregiões

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.