Ceticismo sobre acordo com Mitsubishi põe pressão sobre Morgan

As pressões se acumulam sobre o Morgan Stanley nesta sexta-feira, com investidores ainda não convencidos sobre a concretização de acordo com o Mitsubishi UFJ e dois relatórios de analistas citando preocupações sobre a perspectiva de lucro do banco. As ações do Morgan Stanley perderam aproximadamente metade de seu valor nos últimos três dias por temores de que o Mitsubishi UFJ possa desistir de injetar capital na instituição norte-americana. A queda acontece apesar de garantias de ambos os bancos de que o negócio será fechado na terça-feira. "Até quando o negócio for finalizado, há incertezas no mercado", disse Marco Mak, chefe de pesquisa do Tai Fook Securities. "Há muitos rumores. É basicamente uma perda de confiança." Os dois relatórios de analistas, um feito pela corretora Ladenburg Thalman, e o outro pela agência de classificação Moody's, foram divulgados em um momento extremamente delicado para o banco, com suas ações a caminho do território do dígito único. Depois de ter cortado o preço-alvo da ação do Morgan Stanley, Richard Bove, veterano analista de Wall Street na Ladenburg Thalman, disse que a pressão sobre o banco é "enorme". Segundo ele, uma outra preocupação é que se acredita que o Morgan seja contraparte de transações do Lehman Brothers. O Lehman Brothers entrou com pedido de proteção contra falência no último mês. "Nós já vimos este filme antes", disse Bove. "É preciso segurar o fôlego no momento e esperar que este seja um filme diferente."

MICHAEL FLAHERTY E DAVID DOLAN, REUTERS

10 Outubro 2008 | 09h30

Mais conteúdo sobre:
BANCOS MORGAN RETICENCIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.