Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Cetip retoma IPO e espera levantar até R$ 4 bilhões

Pedido de emissão de ações na Bovespa deve ser apresentado esta semana à CVM

Leandro Modé, O Estadao de S.Paulo

31 de agosto de 2009 | 00h00

A Cetip, empresa que administra operações no chamado mercado de balcão organizado, onde são negociados títulos públicos e privados de renda fixa e derivativos, entre outros, desengaveta nesta semana seu processo de abertura de capital (IPO, na sigla em inglês). A companhia deve apresentar à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), amanhã ou quarta-feira, seu pedido para emitir ações na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) - no jargão financeiro, essa é uma fase conhecida como pré-filing. No mercado, estima-se que a operação possa levantar entre R$ 3 bilhões e R$ 4 bilhões. Se essas estimativas se confirmarem, será o segundo grande IPO de 2009 no Brasil. Em junho, a Visanet levantou R$ 8,4 bilhões. Procurada pelo Estado, a Cetip não se manifestou. Criada em 1986 para atuar no segmento de custódia e liquidação de títulos, a Cetip tem hoje sob responsabilidade o equivalente a R$ 2,5 trilhões. Entre os vários negócios em que atua está o de escrituração da Transferência Eletrônica Disponível (TED). No ano passado, a Cetip apresentou um lucro líquido de R$ 41 milhões. Em maio deste ano, o fundo de private equity (que compra participação em empresas) Advent adquiriu 30% da Cetip por R$ 360 milhões. Na ocasião, os administradores do fundo disseram que o dinheiro seria usado para apoiar os planos de expansão da companhia. Se as estimativas de captação na oferta de ações se confirmarem - e dependendo de quanto do capital da empresa for oferecido ao mercado -, o investimento feito pelo Advent terá se mostrado mais do que certeiro, já que verá seu capital se multiplicar em poucos meses. A Cetip tem a intenção de abrir o capital desde 2007. A partir daquele ano, iniciou os procedimentos necessários para poder executar a operação. Em 2008, por exemplo, a empresa aprovou a chamada desmutualização, mecanismo pelo qual passou a ser uma sociedade anônima. Até então, atuava como uma organização sem fins lucrativos. Em maio, quando a venda de participação para o Advent foi anunciada, o presidente do conselho de administração da Cetip, Edgard da Silva Ramos, afirmou que a transformação em empresa era a única forma de continuar crescendo. De acordo com ele, das 35 maiores bolsas de valores do mundo, cerca de 30 tinham mercados de balcão desmutualizados, ou seja, com estrutura de empresa, e não de associação. "A competição aumentou e a transformação em companhia era a única forma de competir nesse negócio", disse, à época.Antes de fazer seus IPOs, a Bovespa e a Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), quando ainda atuavam separadas, também se desmutualizaram. Além do Advent, a Cetip tem como sócios bancos, fundos de pensão e corretoras. O processo de IPO da companhia foi interrompido em razão das condições desfavoráveis do mercado. Por causa do agravamento da crise global, o Índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Ibovespa), por exemplo, caiu mais de 40% no acumulado de 2008. Neste ano, já tem valorização superior a 50%, em um desempenho que surpreendeu grande parte dos analistas e animou muitas empresas a acessar o mercado de capitais. Várias companhias já fizeram captações na bolsa este ano. Entre elas, Perdigão e Hypermarcas. Na semana passada, a Gol anunciou uma oferta pública de ações que, segundo analistas, pode chegar a R$ 1 bilhão. O Santander também fará operação semelhante - que pode chegar, também segundo estimativas, a R$ 6 bilhões. No mercado, estima-se que a Cetip possa vender na bolsa até 50% de seu capital. O montante será definido segundo a demanda dos investidores, em um processo conhecido como book building. Se for alta, como muitos esperam, puxará para cima o valor das ações, o que, por tabela, pode estimular a empresa a chegar perto dos 50%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.