coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

CGT dissidente marca greve geral na Argentina para dia 22

O caminhoneiro Hugo Moyano, líder da CGT dissidente argentina, marcou para o dia 22 de maio a primeira greve geral, de 15 horas, contra o governo do presidente Eduardo Duhalde. A paralisação estava marcada para hoje, mas Moyano cancelou-a por "questões meteorológicas", devido às fortes chuvas.No entanto, outros sindicalistas, políticos e a imprensa da Argentina suspeitam da decisão de Hugo Moyano e o acusam de ter negociado com o governo para suspender a greve. Outros explicam que Eduardo Duhalde conseguiu esvaziar a mobilização de Moyano, atraindo para si os sindicalistas chamados de "duhaldistas", como os taxistas, os mecânicos, os motoristas de ônibus e trabalhadores rurais. Aos poucos, Moyano foi ficando sem apoio necessário para levar adiante a greve geral, que precisou ser adiada.

Agencia Estado,

14 de maio de 2002 | 17h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.