Chairman da Samsung deixará empresa após acusações

O chairman do Grupo Samsung, Lee Kun-hee, disse nesta terça-feira que pedirá demissão da companhia após ter sido processado na última semana por evasão fiscal. O vice-chairman da companhia, Lee Hak-soo, também foi acusado na semana passada e pediu demissão.As demissões são uma resposta às acusações contra Lee Kun-hee e mais outros noves executivos da Samsung por evasão fiscal e quebra de confiança. Promotores especiais acusaram Lee, na última quinta-feira, de evadir 112,8 bilhões de wons (US$ 113 milhões) em impostos, encerrando uma investigação de três meses desencadeada por um ex-advogado da empresa, que denunciou os crimes em novembro de 2007.Lee Kun-hee se desculpou à nação nesta terça-feira por causar problemas. O executivo, de 66 anos, comanda a Samsung desde 1987. Ele assumiu o controle do grupo, que tem 59 empresas, após a morte de seu pai, que iniciou a companhia com uma única firma de negócios em 1938.Lee Kun-hee disse a jornalistas no dia 11 de abril, depois de ter sido interrogado por uma segunda equipe de promotores, que ele poderia fazer grandes mudanças no grupo.A receita anual das companhias do Grupo Samsung é de aproximadamente US$ 150 bilhões, cerca de 15% da economia nacional da Coréia do Sul. A Samsung Electronics é a maior e mais conhecida empresa do grupo, que também opera nos setores de construção, fabricação de navios, têxteis, seguros, mercados de capitais, publicidade e turismo. As informações são da Dow Jones

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.