finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Charles Schwab faz drástico corte de custos

A Charles Schwab Corp., uma das maiores corretoras online dos EUA e a maior do país por tarifas de corretagem mais baixas, está aplicando uma drástica redução de custos, que poderá incluir o fechamento de seus escritórios todas as sextas-feiras. A informação é da edição interativa do The Wall Street Journal. Um porta-voz da corretora confirmou os cortes. "Estamos pedindo que funcionários em período integral ou meio período fiquem em casa por um tempo. Eles não vão receber por isso, a menos que incluam os dias em suas férias", afirmou. A medida deve afetar cerca de 15 mil funcionários, exceto os que trabalham em serviços essenciais, e deve começar em fevereiro. Segundo o porta-voz, todos os escritórios da corretora que lidam com pequenos investidores, assim como os funcionários do serviço de corretagem 24 horas da Web vão manter suas operações. Mas os escritórios que empregam executivos de marketing ou pessoal de apoio administrativo poderão ser fechados às sextas, disseram fontes próximas à empresa ao Wall Street Journal. Os cortes acontecem em meio ao forte declínio na receita das empresas financeiras, pressionada em grande medida pelo declínio da atividade dos investidores pessoa física. Lucros - Os lucros da Schwab no quarto trimestre caíram 27%. Embora venha procurando formas de evitar o corte de funcionários, a empresa anunciou recentemente que os salários dos gerentes seriam reduzidos entre 5% e 50% nos meses de janeiro e fevereiro. As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.