Chávez ameaça expropriar fábrica da Toyota no país

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, ameaçou expropriar a fábrica da Toyota e de outras montadoras que operam no país caso não aumentem a transferência de tecnologia e de métodos de produção aos venezuelanos. Ele também afirmou que o governo aplicará cotas mais estritas de produção, estabelecendo a quantidade e o tipo de veículos que as montadoras devem produzir e ordenou uma inspeção imediata das fábricas da Toyota para verificar se havia "veículos rústicos" suficientes na linha de montagem.

AE, Agencia Estado

24 de dezembro de 2009 | 19h41

"Eles precisarão cumprir (as cotas) e, se não cumprirem, podem ir embora", disse Chávez, durante um pronunciamento. "Traremos outra empresa." Segundo ele, se a Toyota não estiver produzindo o que o governo acha que ela deveria produzir e não estiver transferindo tecnologia, as unidades da companhia serão expropriadas e concedidas a empresas chinesas. "Tomaremos, expropriaremos, pagaremos o que vale e imediatamente chamaremos os chineses", disse Chávez, acrescentando que as companhias chinesas estão dispostas a fabricar veículos para a área rural.

Nos últimos anos, Chávez estatizou dezenas de empresas estrangeiras e em algumas ocasiões setores inteiros da economia, incluindo companhias de cimento, de café e prestadoras de serviços a petroleiras. A fábrica da Toyota na Venezuela possui mais de 2 mil funcionários e opera no país há mais de 50 anos. Nenhum representante da Toyota comentou as declarações de Chávez. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.