Chávez ameaça nacionalizar bancos na Venezuela

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, ameaçou hoje nacionalizar todos os bancos privados que violarem as regras financeiras do país. Chávez disse que fará o que for necessário para evitar irregularidades, em meio a um escândalo que já levou seu governo a assumir a administração de quatro bancos. "Vou tomar qualquer banco que violar (as regras)", Chávez disse em seu programa semanal de TV e rádio. "Querem que eu nacionalize os bancos? Pois não tenho problemas (com isso)."

AE-AP, Agencia Estado

29 Novembro 2009 | 19h35

O governo assumiu o controle de quatro pequenos bancos em 20 de novembro, citando várias irregularidades. Os quatro bancos, Canarias, Confederado, Bolivar e BanPro, correspondem a 5,7% do setor bancário da Venezuela.

Os bancos foram comprados em setembro e outubro por um grupo de investidores liderado por Ricardo Fernandez, que tem negócios no setor alimentício e vende produtos para uma rede de mercados subsidiados pelo estado conhecidos como Mercal. Fernandez e seu advogado, José Camacho, foram presos sob acusações de apropriação indevida de depósitos, e empréstimos a outros negócios nos quais são investidores.

A agência reguladora estatal designou funcionários para supervisionar as operações desses bancos. Uma associação bancária privada demonstrou apoio à ação governamental, dizendo que a iniciativa tem como objetivo proteger os depósitos.

Desde que assumiu a presidência, há mais uma década, Chávez já determinou a nacionalização de grandes empresas nos setores de siderurgia, eletricidade e petróleo.

As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Venezuelabancos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.