Chávez articula petrolífera estatal latino-americana

Uma grande empresa petrolífera de toda a América Latina será apresentada pelo presidente venezuelano Hugo Chávez ao colega argentino Néstor Kirchner em uma reunião neste terça-feira, em Buenos Aires. Chávez quer que as estatais petrolíferas da região se unam, constituindo uma poderosa empresa de peso mundial: a Petroamérica.O presidente venezuelano disse que, como passo prévio, a Argentina teria que ter novamente uma petrolífera estatal, já que a YPF foi vendida no início dos anos 90 ao grupo espanhol Repsol. "Estamos dispostos a ajudar no que seja necessário para que os argentinos tenham de novo sua empresa de petróleo", disse. Chávez afirmou que está disposto a enviar petróleo à Argentina, "com dois anos de carência, 15 anos de prazo, 2% de juros e com um desconte de 20% no preço do barril". Em troca, Chávez quer que a Argentina venda à Venezuela, por preços convenientes, arroz, feijão, carne e remédios.Chávez afirmou que a estatal venezuelana, a PDVSA, "agora está olhando para o sul". Dias atrás, o chanceler argentino Rafael Bielsa afirmou que a PDVSA planejava abrir em breve 50 postos de gasolina na Argentina. Em uma segunda etapa, o número de postos chegaria a 150. O investimento inicial, que será discutido na terça entre Chávez e Kirchner seria de US$ 100 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.