Chávez continuará a comprar dívida argentina, diz jornal

No meio das turbulências financeiras internacionais, o governo do presidente venezuelano Hugo Chávez continuaria comprando títulos da dívida pública argentina. Segundo fontes do governo bolivariano citadas pelo jornal "El Universal", de Caracas, Chávez adquiriria até o final deste ano um total de US$ 1 bilhão em títulos os quais denomina, brincando, de "Bônus Kirchner", em referência ao ex-presidente Néstor Kirchner, marido de sua sucessora e atual presidente argentina, Cristina Fernández de Kirchner. Desde 2005, quando ocorreu a reestruturação da dívida pública argentina, o presidente venezuelano ordenou a compra de US$ 5,5 bilhões em títulos "Kirchner". Essa aquisição transformou Chávez na maior fonte de financiamento externo do país nos últimos três anos. Além de reforçar os laços políticos com a Argentina, com a revenda dos bônus a Venezuela bolivariana obteve um lucro de pelo menos US$ 300 milhões Ao longo de 2008 o governo Cristina - tal como seu marido fez nos últimos dois anos - pagará os vencimentos da dívida com o superávit fiscal, sem necessidade de recorrer às reservas do Banco Central. Algumas dívidas, no entanto, serão refinanciadas, e empurradas para a frente. De toda forma, com os bônus vendidos a Chávez, Cristina preparará o "colchão" financeiro de 2009.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.