Chávez estuda financiamento de US$ 1 bilhão para o Equador

O pacote de bondades do presidente Hugo Chávez pela região latino-americana vai ser ampliado mais uma vez. O Estado apurou que Caracas está em plena negociação para dar um financiamento de US$ 1 bilhão para o Equador e tirar o governo do presidente Rafael Correa dos problemas em que se encontra. O dinheiro seria dado por meio da compra de papéis emitidos pelo Equador no mercado financeiro. A Venezuela, desta forma, repete uma iniciativa que já está dando resultados com outros países da região. O principal deles é a Argentina, para onde já foram destinados US$ 4,5 bilhões nos últimos 18 meses. Esse valor poderá chegar a US$ 5,5 bilhões ainda neste ano, o que está possibilitando que Buenos Aires financie seus gastos públicos.Diplomatas que tiveram acesso aos documentos referentes às negociações revelam que não há dúvidas de que o financiamento venezuelano tem um forte componente político e de criar dependências entre as economias que hoje precisam de recursos e Caracas, que vive um momento positivo financeiramente por causa dos preços do petróleo.Com um superávit em suas contas e com dólares em abundância graças aos preços do petróleo, a Venezuela vem usando os recursos na região como forma de aumentar sua influência política e econômica.Os papéis tanto do Equador como da Argentina ainda servem para outra finalidade na Venezuela. Caracas usa esses mesmos papéis em uma revenda ao exterior. Dessa forma e por estar limitado por seu controle de câmbio, o governo de Chávez consegue enviar aos mercados internacionais parte dos dólares arrecadados com a alta nos preços do barril do petróleo nos últimos anos.Para o Equador, os recursos poderão ser essenciais para que o governo quite uma série de dívidas que vem acumulando.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.