Chávez faz avaliação amena sobre crise do gás

Depois de participar da foto oficial dos presidentes e chefes de Estado na IV Cimeira União Européia e América Latina, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, surpreendeu e usou um tom ameno ao responder à pergunta de como avaliava a atitude do presidente da Bolívia, Evo Morales, que acusou a Petrobras de estar atuando naquele país de forma ilegal. "Apesar do que disse o presidente Morales, temos de aplaudi-lo, assim como temos de aplaudir a decisão de ele querer recuperar o controle de hidrocarbonetos, de cumprir a sua responsabilidade democrática, de sua responsabilidade com seu povo", comentou Chávez.O presidente venezuelano lembrou que na reunião realizada em Puerto Iguazu, na Argentina, na semana passada, na qual estavam presentes além dele, os presidentes da Bolívia, Evo Morales; do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva; e da Argentina, Nestor Kirchner, as conversações foram de "alto nível". E acrescentou: "foi realizado um encontro de alto nível, onde assinamos um acordo e um documento nos comprometendo com a integração (do Mercosul). Isso é o que importa".Chávez voltou a atacar os Estados Unidos, disse que os países da Europa e da América Latina querem paz e respeito internacional, e completou afirmando que seu país quer colocar o petróleo "a serviço do desenvolvimento".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.