Chávez pode abrir processo contra Exxon por roubo

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, afirmou ontem que seu governo pode entrar com processo contra a petrolífera norte-americana ExxonMobil pela suposta retirada de 500 mil barris de petróleo de campos venezuelanos sem o devido pagamento. "Eles retiraram 500 mil barris de petróleo bruto daqui sem registrá-los, antes de começarem a explorar os campos", declarou Chávez, durante seu programa de rádio e televisão."Vamos processar a ExxonMobil e exigir que eles paguem por aquele roubo. Eles são os agressores, eles são os ladrões", disse o presidente venezuelano. Os comentários vieram alguns minutos depois de um funcionário da Petróleos de Venezuela (PDVSA) ter dito, também ontem na televisão, que a Exxon conseguiu roubar centenas de milhares de barris de petróleo anos atrás, sem o conhecimento do governo.A acusação é a última da batalha legal que levou uma das mais poderosas companhias de petróleo do mundo a brigar com um país que controla algumas das maiores reservas de petróleo do planeta. A Exxon e a Venezuela estão envolvidas em uma áspera e crescente disputa legal desde que o governo daquele país nacionalizou empreendimentos de produção de petróleo bruto, como parte dos planos do presidente Hugo Chávez.Nos últimos dias, a questão legal tem ganhado traços políticos. Chávez acusou a Exxon de ter disparado o primeiro tiro em uma "guerra econômica" contra os Estados Unidos. A empresa, diz o venezuelano, está atuando como um braço do governo norte-americano em outra tentativa de desestabilizar o seu governo.Recentemente, um executivo da Exxon afirmou que a empresa permanece aberta para conversas com a Venezuela na esperança de encontrar uma solução para a disputa. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.