Chávez quer certificar Venezuela como maior produtora de petróleo do mundo

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, iniciou formalmente nesta quinta-feira o processo de certificação internacional de que o país conta com as maiores reservas de petróleo do planeta, processo que será concluído em novembro de 2008, segundo o ministro de Energia, Rafael Ramírez.O governo venezuelano e sua equipe de especialistas calculam que na chamada Faixa Petrolífera do Rio Orinoco, no sudoeste do país, existem cerca de 135 milhões de barris de petróleo, somado aos 80.580 milhões já verificados nessa e em outras regiões do país. A extração atual da Venezuela é de cerca de 3,4 milhões de barris diários, entre eles cerca de 620 mil barris diários na Faixa, uma extensão de mais de 54 mil quilômetros quadrados. Na região, a exploração é feita através de "associações estratégicas" da estatal de Petróleo da Venezuela SA (PDVSA) com a Conoco-Phillips, Chevron e Exxon dos Estados Unidos. Na região também trabalham petrolíferas como a francesa Total, a norueguesa Statoil e a britânica BP. A empresa hispano-argentina Repsol YPF, a chinesa CNPC, a anglo-holandesa Royal Dutch Shell e a Petrobras, estão entre as que pediram para explorar a área.Na prática, estas empresas são refinarias que extraem e processam betumes e os convertem em petróleo sintético, com valor comercial maior. A PDVSA se associou com empresas do Brasil, Índia, China, e Argentina para certificar as reservas do Orinoco. Nesta quinta-feira dois poços do chamado "Campo Carabobo 1", no estado de Anzoátegui, foram perfurados."Estamos em plena construção de uma nova história, de uma nova realidade, porque realmente a Venezuela começou a caminhar e não há volta", disse Chávez ao início da cerimônia em "Campo Carabobo 1".A certificação do petróleo da Franja do Orinoco, somado ao que já é explorado no país, deixará a Venezuela com uma reserva total de 315 milhões de barris, seguida pela Arábia Saudita con 262 milhões de barris.Atualmente, a Venezuela é o quinto maior exportador mundial de petróleo e o terceiro maior da Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.