bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Chávez quer substituir petróleo por gás na AL

Venezuelano inaugurou ontem gasoduto na Colômbia

O Estadao de S.Paulo

13 de outubro de 2007 | 00h00

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, convocou ontem a América Latina a promover o uso intensivo de gás para reduzir o consumo de petróleo e aproveitar ao máximo o lucro com as vendas de óleo cru aos países desenvolvidos.Para conseguir esse objetivo, Chávez considerou crucial a construção dos gasodutos do Sul, Transandino e a extensão para a América Central do gasoduto inaugurado ontem em Manaure, Colômbia, em cerimônia realizada junto com o presidente colombiano, Alvaro Uribe, e do Equador, Rafael Correa.Os governantes descerraram a placa comemorativa que marca o início de funcionamento da obra, construída em conjunto pela Venezuela e pela Colômbia. Depois abriram as válvulas que deram passagem ao gás extraído do Caribe colombiano e que será fornecido aos consumidores de Maracaibo, na Venezuela.O gasoduto Ballenas-Maracaibo, que recebeu o nome de Antonio Ricaurte, oficial colombiano que lutou pela independência do país, é uma iniciativa da Empresa Colombiana de Petróleos (Ecopetrol) e da Petróleos de Venezuela S.A. (PDVSA), que investiram no projeto US$ 200 milhões.A linha de transporte mede 220 quilômetros de comprimento, 89 deles em território colombiano, a partir de Ballenas, que fica na localidade de Manaure, na província colombiana de La Guajira e a mais de 1.400 quilômetros ao norte de Bogotá. O gasoduto tem capacidade para transportar 200 milhões de metros cúbicos de gás por dia, segundo as autoridades.A construção do reservatório começou em junho do ano passado, por uma iniciativa de Chávez para a integração energética da Colômbia e da Venezuela com a América Central e a América do Sul.O presidente venezuelano sugeriu que um gasoduto igual fosse levado até o Equador, o que explica a presença de Correa no ato de inauguração. No futuro, ele espera que o gasoduto seja estendido também até o Peru e a Bolívia.Segundo Chávez, "se a América do Sul substituísse boa parte do consumo de gasolina e diesel por gás, obteria ingressos adicionais de cerca de US$ 50 bilhões anuais sem ter que pedir emprestado a ninguém". Por causa disso, "a integração energética é vital", disse o presidente venezuelano. Ele defendeu a massificação do consumo de gás nas residências e também o uso de gás veicular".Chávez propôs incentivar o uso de fogões, geladeiras, aquecedores e outros eletrodomésticos movidos a gás. "Com o presidente Lula falávamos da refinaria no Norte do Brasil e de um grande gasoduto até o Sul, que passaria por Manaus e se conectaria ao Nordeste brasileiro... e logo mais abaixo, até o Rio da Prata. Alguns dizem que estou louco e que é uma loucura esse gasoduto", acrescentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.