Chefe do Banco Mundial pede fundo especial para países pobres

O presidente do Banco Mundial, Robert Zoellick, afirmou a líderes árabes nesta segunda-feira que pressionará para a criação de um fundo emergencial especial de ajuda a países pobres em desenvolvimento que não podem arcar com pacotes de resgate econômico em tempos de crise. Zoellick disse que levantará a questão em abril durante reunião em Londres do chamado grupo dos 20 -- grupo das principais nações ricas e em desenvolvimento do mundo. "Como parte da resposta global a estes tempos perigosos, eu pedirei ao G20 para que dê apoio a um 'fundo de vulnerabilidade' para dar assistência a países em desenvolvimento que não podem arcar com resgates e déficits", escreveu ele em discurso preparado para uma conferência econômica da Liga Árabe, no Kuwait. O fundo, disse ele, ajudará a financiar "investimentos em projetos de infraestrutura que podem criar empregos ao mesmo tempo em que constroem uma fundação para produtividade futura e crescimento." O fundo também possibilitará o financiamento de empresas de pequeno e médio porte para ajudar na criação de empregos, disse ele. Ele acrescentou que a crise econômica tornou-se uma crise de desemprego para os países árabes. Zoellick disse que apesar do mundo árabe ser historicamente pouco integrado à economia global, embora tenha um papel de fornecedor de petróleo, a região tem sentido o impacto da crise financeira global.

REUTERS

19 de janeiro de 2009 | 11h52

Tudo o que sabemos sobre:
MACROBANCOMUNDIAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.