Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Chefe do Estado Maior da Forças Armadas diz que 'não tem nenhuma concordância' com intervenção

O chefe do Estado Maior Conjunto das Forças Armadas, almirante Ademir Sobrinho, afirmou que não está preocupado com mobilizações pedindo a intervenção militar no País

Tânia Monteiro, O Estado de S.Paulo

29 Maio 2018 | 20h07

O chefe do Estado Maior Conjunto das Forças Armadas, almirante Ademir Sobrinho, disse, na entrevista coletiva sobre balanço das ações de desmobilização da paralisação dos caminhoneiros, que enfrenta seu nono dia, que “não está preocupado” com mobilizações pedindo a intervenção de militares no País. 

+ Multas revoltam caminhoneiros na Dutra

“Nós estamos preocupados em fazer o Brasil andar”, declarou ele, ao ser perguntado como recebia estes pedidos de intervenção. “Não temos nenhuma concordância com isso. Seguimos o que está na Constituição”, declarou ele. “Democracia”, resumiu.

Repetindo o que afirmou, no dia anterior, o ministro da Defesa, general Joaquim Silva e Luna, o almirante Ademir Sobrinho lembrou que “as pessoas são livres para se manifestar como quiserem", disse o ministro. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.