Cheney discute petróleo com rei saudita

O vice-presidente dos EUA, Dick Cheney, sereúne na sexta-feira com o rei Abdullah, da Arábia Saudita,para discutir uma forma de estabilizar o mercado do petróleo,cujo preço vem batendo recordes, acima de 100 dólares porbarril. "Tenho certeza de que vamos conversar sobre a necessidadede uma forma cooperativa para avançar em tentar estabilizareste mercado, reduzir a volatilidade no mercado, e servir aosinteresses tanto de consumidores quanto de produtores", disseJohn Hannah, assessor de segurança nacional de Cheney, ajornalistas. O petróleo vem subindo porque os investidores se refugiamda desvalorização do dólar comprando commodities. Naquinta-feira, os temores de recessão nos EUA levaram o barrilnovamente abaixo dos 100 dólares. Em janeiro, o presidente George W. Bush esteve na ArábiaSaudita e propôs que a Opep (Organização dos PaísesExportadores de Petróleo) aumentasse a produção. Hannah disseque Cheney e Abdullah iriam aprofundar as propostas de Bush. Durante o encontro, numa fazenda do rei nos arredores deRiad, Cheney deve falar também de suas recentes visitas aoIraque e ao Afeganistão. Cheney chegou à propriedade rural vindo de Omã, acompanhadoda esposa e da filha, e foi recebido por criados que carregavamincenso. Antes de condecorar Cheney, Abdullah disse ser umvelho amigo do vice-presidente. Falando sob anonimato, uma fonte do governo norte-americanodisse que há "claramente coisas em médio e longo prazo que aspessoas podem fazer para tentar aumentar a capacidade global(de produção de petróleo)". Essa fonte afirmou que "há coisas que os EUA podemfazer..., mas também há coisas que os sauditas, os russos eoutros podem fazer para investir na sua capacidade paraproduzir mais petróleo ao longo do tempo, e na verdade ossauditas vêm fazendo isso há anos." Cheney também deve pedir que os sauditas estabeleçam umapresença diplomática no Iraque e colaborem na reconstrução doAfeganistão. Ele falará ainda sobre as preocupações deWashington com o Irã e a Síria, e além disso, a pauta deveincluir também a situação pós-eleitoral no Paquistão. "Os sauditas têm tradicionais relações com o presidente(Pervez) Musharraf e com o ex-primeiro-ministro Nawaz Sharif,então claramente eles têm alguma influência sobre o Paquistão",disse a fonte norte-americana. Cheney e sua família vão passar a noite na fazendaJanadriya e embarcam no sábado para Israel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.