Cheque sem fundos: como limpar o nome

Para os inadimplentes, limpar o nome do cadastro de restrição ao crédito não é uma tarefa fácil, principalmente quando o consumidor tem problemas com cheques sem fundos. O cheque sem fundo é aquele que é apresentado duas vezes à instituição financeira para compensação ou saque sem que se tenha saldo suficiente na conta corrente para o pagamento. Se o consumidor emitir um cheque sem fundos, o seu nome vai para a lista negra do cadastro de emitentes de cheques sem fundo do Banco Central (CCF) e do Serasa. Para retirar o nome do cadastro CCF e da lista de devedores do Serasa, o consumidor deve seguir os seguintes passos: - Procurar a agência bancária da qual é cliente e se apresentar como cliente que teve uma ocorrência de cheque sem fundos. - Solicitar ao seu banco todas informações sobre o número, valor e data do cheque que foi apresentado duas vezes sem saldo na conta corrente. - Em seguida, deve verificar nos canhotos de seus talões de cheque a quem foi emitido o cheque devolvido. O consumidor deve procurar a pessoa ou empresa que esteja com o cheque em mãos para regularizar o seu débito e recuperar o cheque. Se não conseguir localizar o portador do cheque, não há o que fazer. - Com o cheque em mãos, deve preparar uma carta, conforme orientação do gerente da sua conta bancária. Depois, juntar a carta ao original do cheque recuperado, recolher as taxas de devolução do cheque e protocolar uma cópia destes documentos para regularizar a situação no Banco Central. - Para estar ciente que a sua situação está regularizada junto ao CCF, o consumidor deve exigir o protocolo de comunicação de regularização, que o banco do qual é cliente envia para o Banco do Brasil (BB). O Banco do Brasil é o encarregado pelo Banco Central de processar e atualizar o arquivo do CCF. - Após realizar todos esses passos, o consumidor tem seu nome excluído até o último dia da quinzena subseqüente ao pagamento da dívida. - O Banco Central repassará automaticamente seus dados ao sistema do Serasa que, por sua vez, vai liberar o nome junto à empresas e instituições que concedam crédito.

Agencia Estado,

17 Dezembro 2001 | 13h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.