Cheques falsos são pegos com análise apurada

A Federação Brasileira das Associações de Bancos (Febraban) orienta que os correntistas tenham sempre muita atenção com seus talões de cheque. Eles podem ser clonados, como no caso da matéria no link abaixo, ou até roubados e usados por outras pessoas.O correntista deve ter cuidado porque, mesmo depois de constatada a fraude, o banco pode demorar para restituir o valor sacado indevidamente. Segundo funcionário da Febraban, que pediu para não ser identificado, os bancos têm a responsabilidade de adotar medidas que impossibilitem a cópia de cheques. "E tomam medidas necessárias para impedir isso", afirma.Galletti, diretor do Itaú, reconhece que a compensação - conferência visual de assinaturas das folhas de cheque - não é, de maneira alguma e em banco nenhum, infalível. Normalmente, na compensação, funcionários dos bancos examinam e conferem centenas de cheques em uma noite.É possível verificar se os cheques são falsificados, diz o funcionário da Febraban. Ele explica que, para impedir a falsificação, existe uma fita invisível e elementos químicos que só os originais têm e podem reagir a certas soluções. Mas, para identificar a presença desses elementos, é preciso inutilizar o cheque. Algo inviável porque, se verdadeiro, também poderá perder a validade.Os bancos serão responsáveis se não adotarem meios que impeçam a falsificação de cheques, afirma o funcionário da Febraban. "Mas os bancos não podem ser responsabilizados pela desatenção dos correntistas."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.