Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Chile volta a comprar carne brasileira, diz ministério

O diretor do departamento de defesa animal do Ministério da Agricultura, João Cavalléro, informou hoje que as exportações brasileiras de produtos de origem animal para o Chile, que haviam sido interrompidas na semana passada, devido ao retorno da febre aftosa no Paraguai, já foram normalizadas, com exceção do Mato Grosso do Sul, que faz fronteira com o Paraguai.Ele disse que as autoridades chilenas, desde a semana passada, passaram a exigir que as vendas externas de carne passassem a ser acompanhadas por um ?certificado de tráfego de tropas?, para ter certeza de que os produtos não eram procedentes do Mato Grosso do Sul.Em contato com as autoridades chilenas, a Secretaria de Defesa Animal (SDA) informou que a atual Guia de Trânsito de Animais (GTA), que acompanha todas as exportações, já especifica a origem da exportação. Atualmente, segundo ele, a SDA está negociando com os chilenos para que as exportações de carne bovina do Mato Grosso do Sul possam ser normalizadas. ?Até segunda-feira isso estará resolvido?, garantiu.O presidente do Fórum Nacional de Pecuária de Corte da Confederação Nacional da Agricultura, Antenor Nogueira, informou que a entidade enviou hoje uma correspondência ao ministro da Agricultura, Pratini de Moraes, pedindo providências para acabar com a barreira chilena. ?O Chile participou da reunião no Centro Panamericano de Febre Aftosa, no Rio de Janeiro, e sabe que não há risco de aftosa no Brasil. Eles também sabem que foi feito teste sorológico no Mato Grosso do Sul e que os resultados foram negativos?, afirmou.Segundo Antenor Nogueira existem oito carretas carregadas com 27 toneladas de carne cada (216 toneladas no total), na fronteira da Argentina com o Chile, aguardando autorização para ingressar em território chileno. ?O Chile exporta vários produtos para o Brasil, e nós queremos que o governo brasileiro também passe a exigir certificação dos vinhos, frutas e lácteos chilenos?, afirmou.

Agencia Estado,

14 de novembro de 2002 | 20h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.