Chilena Cencosud compra rede Prezunic, do Rio, por R$ 875 milhões

Em pouco mais de um ano, a chilena Cencosud mais que dobrou seu tamanho no Brasil. A aquisição da rede carioca de supermercados Prezunic - anunciada ontem, por R$875 milhões (US$ 497,1 milhões) - vai acrescentar à varejista mais 31 lojas, que em 2010 faturaram R$ 1,9 bilhão.

LÍLIAN CUNHA, O Estado de S.Paulo

17 Novembro 2011 | 03h05

Há pouco mais de um ano, quando comprou as 62 unidades da mineira Bretas, com R$ 2,1 bilhões em vendas, o Cencosud tinha 52 lojas e faturava R$ 2,5 bilhões. Hoje, com os dois negócios e sua expansão orgânica, a chilena já chega a 184 supermercados, além de 59 farmácias e 58 lojas de eletrodomésticos.

A compra do Prezunic - sexto maior varejista do País, segundo o ranking da Associação Brasileira de Supermercados (Abras) - inclui a compra dos ativos da empresa (exceto a propriedade dos imóveis) e transferência de operação do cartão de crédito Prezunic, com 64 mil clientes.

Pelos termos do acordo, dos R$ 875 milhões a serem pagos em cinco anos, serão descontados R$ 189 milhões, referentes a dívida e capital de giro da empresa familiar, capitaneada pela família Cunha, tradicional do varejo carioca.

Esta é a sétima aquisição do Cencosud no País, desde que a rede chegou ao Brasil, em 2007, com a compra da nordestina GBarbosa, que tinha cerca de 20 lojas e custou US$ 430 milhões.

De janeiro até agora, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização do Cencosud no Brasil teve crescimento de 5,7%, na comparação com os mesmos meses do ano passado, de acordo com a empresa.

O Prezunic, embora tivesse boas vendas, estava em uma encruzilhada, diz Mauro Pacanowski, consultor especialista em varejo. "É difícil competir no atual mercado brasileiro sem ter capital para investir", disse.

Por isso, a venda já era cogitada por Andrea Cunha, presidente da empresa. "A ideia surgiu na mesma época em que começaram a aparecer interessados", disse a executiva.

O público alvo da rede Prezunic são consumidores das classe B e C. "Todas as lojas são bem organizadas, com uma disposição moderna das prateleiras e estão sempre cheias", disse Pacanowski. O valor do negócio, segundo ele, "é bastante razoável".

Para fornecedores, o Prezunic era uma empresa "fácil de se negociar". "O relacionamento sempre foi tranquilo", disse Isael Pinto, dono da General Brands.

O Prezunic foi fundado há dez anos, por Joaquim Lopes da Cunha Fava, pai de Andrea. O patriarca era dono da rede DMC, das bandeiras Continente, Dallas e Rainha, vendidas ao Carrefour em 1999. A rede deu seu maior salto em 2004, quando as lojas vendidas foram readquiridas e passaram a fazer parte da cadeia Prezunic.

Andrea, de 35 anos comandou as negociações com o Cencosud. "Foram seis meses muito cansativos mas que valeram a pena, pois os executivos do Cencosud são muito profissionais", disse.

O Cencosud tem 658 supermercados, 81 home centers, 25 shoppings e 35 lojas de departamentos no Chile, Argentina, Brasil, Colômbia e Peru. De janeiro a setembro, sua receita cresceu 35%, para US$ 10,5 bilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.