China acusa Brasil de protecionismo e exige reciprocidade

A China lidera uma onda de ameaças e ataques contra a política comercial brasileira, acusada de protecionista, e exige reciprocidade. Para representantes da China, União Europeia, OMC e Estados Unidos, a atitude do Brasil em proteger a indústria automotiva instalada no País é um reflexo de um comportamento mais amplo do governo brasileiro de elevar barreiras e relativizar a importância do livre comércio. Pequim ainda ameaça: o Brasil só aumentará suas exportações agrícolas para a China quando também abrir seu mercado às frutas e legumes chineses.

O Estado de S.Paulo

15 de dezembro de 2011 | 03h07

Hoje, a OMC abre sua reunião ministerial, com a participação do chanceler Antonio Patriota e do ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel. A luta contra o protecionismo em um cenário de crise ganha papel central./ J.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.