Sarah Silbiger/The New York Times
Sarah Silbiger/The New York Times

China afirma ter chegado a 'novos consensos' em negociações com os EUA

Vice-primeiro-ministro chinês disse que os dois países 'realizaram reuniões frutíferas' para pôr fim à guerra comercial

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de abril de 2019 | 02h32

PEQUIM - O vice-primeiro-ministro da China, Liu He, disse nesta sexta-feira, 5, que as negociações comerciais entre Pequim e Washington "chegaram a um novo consenso". As  informações são da agência estatal de notícias Xinhua.

Ainda segundo a fonte, Liu disse que as equipes negociadoras dos dois países "realizaram reuniões frutíferas e chegaram a um novo consenso em questões importantes como o texto do acordo econômico e comercial". O suposto avanço na relação comercial entre os dois países ocorreu em encontro com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, na Casa Branca.

O vice primeiro-ministro chinês, que lidera a delegação negociadora do país asiático nos EUA, afirmou que as duas partes "continuarão com as consultas para alcançar maiores progressos em questões de interesse mútuo para concluir as negociações o mais rápido possível".

Na mesma reunião, Liu transmitiu uma mensagem do presidente chinês, Xi Jinping, a Trump. Na mensagem, o mandatário disse que "durante o mês passado novos progressos substanciais foram feitos" no texto do acordo acima mencionado. Xi encorajou os dois lados a "manter o espírito de respeito mútuo, igualdade e benefício mútuo", segundo a agência.

De sua parte, Trump disse que sua equipe está "muito próxima" de chegar a um acordo comercial com a China. Ele espera saber em um mês se poderá agendar uma cúpula com Xi em solo americano com o objetivo de finalizar os detalhes do pacto.

Desde dezembro do ano passado, EUA e China negociam para tentar acabar com a guerra comercial que começou em 2018. Os entraves foram resultado da agenda protecionista de Trump, que criticou duramente as políticas comerciais do gigante asiático.


Donald Trump se disse confiante

O presidente norte-americano, Donald Trump, se mostrou confiante quanto ao fim da guerra comercial entre Estados Unidos e China. "Provavelmente saberemos [o desfecho] dentro das próximas quatro semanas. Tudo parece andar muito bem", disse Trump depois do encontro com Liu He, chefe dos negociadores chineses.

Para Trump, há condições para chegar a um pacto potencialmente "histórico" e "épico", segundou comentou a jornalistas. Apesar do otimismo do mandatário, o representante comercial dos Estados Unidos Robert Lighthizer disse a jornalistas que ainda faltam ser resolvidos temais considerados centrais. "Tudo foi tratado. Não há nada que tenha sido deixado de lado", disse Trump sobre as demandas dos EUA. / Com informações da EFE e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.