Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

China amplia margem para câmbio do yuan

BC chinês expande faixa para negociações da moeda e promete garantir 'flutuação normal'

XANGAI, O Estado de S.Paulo

15 de abril de 2012 | 03h07

A China permitirá que o yuan seja negociado com o dólar em uma variação diária mais ampla a partir da próxima segunda-feira, adotando uma outra importante medida, amplamente antecipada, para liberalizar ainda mais o regime cambial e tornar a moeda chinesa mais orientada pelo mercado.

O Banco do Povo da China (PBOC, o banco central do país) divulgou oficialmente ontem que ampliará a banda de negociações do yuan para uma taxa de câmbio de referência diária acima ou abaixo de 1%, o dobro da taxa de 0,5% atualmente.

A última vez que a autoridade monetária chinesa expandiu a banda foi em maio de 2007, quando a taxa era de 0,3%.

O movimento ocorre em um momento no qual a perspectiva imediata para a moeda chinesa parece obscura e as pressões por uma valorização do yuan diminuíram substancialmente depois que dados recentes mostraram que o comércio do país tornou-se mais equilibrado, pondo fim a uma era notável de constantes e enormes superávits comerciais.

O desempenho do yuan se tornou de fato significativamente mais volátil nos últimos meses, sofrendo ondas de vendas pesadas e atingindo em várias ocasiões o limite da banda em razão de preocupações sobre um pouso forçado para a economia chinesa.

O yuan se desvalorizou 0,14% ante o dólar até agora neste ano e acumulou ganho de 8,3% desde que Pequim abandonou efetivamente o regime de câmbio fixo em relação ao dólar em junho de 2010. A moeda chinesa foi negociada em torno de 6,30 ienes por dólar na sexta-feira.

Em um comunicado em sua página na Internet, o PBOC disse que garantirá a flutuação normal da taxa de câmbio do yuan e manterá a estabilidade básica da moeda chinesa em um nível razoável e equilibrado. / DOW JONES NEWSWIRES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.