finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

China aponta problemas de qualidade em soja dos EUA

A China, maior importador mundial desoja, acusou os Estados Unidos de exportarem grãos daoleaginosa abaixo dos padrões, em meio a problemas do paísasiático com a qualidade de suas próprias exportações. "Recentemente, órgãos de fiscalização encontraram diversosproblemas de qualidade na soja importada dos Estados Unidos",afirmou a Administração Geral de Supervisão e Inspeção deQualidade e Quarentena em seu website (www.aqsiq.gov.cn) naquarta-feira. Ervas daninhas e terra contaminada foram encontradas entreos grãos, o que poderia ameaçar a produção agrícola e florestale a segurança ambiental da China, disse o órgão. Foi citado como exemplo uma carga de soja norte-americanadesembarcada em fevereiro, em que foram encontrados grãoscontaminados com vestígios de dois tipos de pesticida,constituindo uma "grande ameaça" à segurança dos consumidoreschineses. A China fortalecerá a supervisão sobre as importações desoja para garantir a qualidade e a segurança dos grãos,afirmaram as autoridades da fiscalização. A nota provocou calafrios na indústria de soja chinesa, queperdeu milhões de dólares em 2004 após as autoridades defiscalização recusarem muitos carregamentos de soja com origembrasileira, argumentando problemas com a qualidade. Ainda assim, muitas autoridades da indústria afirmaram serpouco provável que uma eventual fiscalização mais rigorosapossa provocar um grande impacto nas importações chinesas desoja, principalmente devido às preocupações de Pequim com ainflação, motivada pelo aumento dos preços nos alimentos, e coma redução das safras do país em 2007, incluindo a daoleaginosa. Autoridades da indústria entenderam a medida como umatentativa da China criar um argumento diplomático, apontandoque os produtos norte-americanos também possuem problemas dequalidade. Este ponto de vista foi sustentado pelo fato daChina destacar um carregamento irregular em fevereiro em vez deum caso mais recente, já que centenas de cargas chegaram dosEstados Unidos desde então. Dados oficiais mostram que a China importou 16,88 milhõesde toneladas de soja durante os primeiros sete meses deste ano,incluindo 7,84 milhões de toneladas com origem nos EstadosUnidos. A China vem sendo criticada por falhas na segurançaenvolvendo alimentos, remédios e outras exportações, debrinquedos a roupas e pastas de dente. As autoridadesresponderam rapidamente, afirmando que a maior parte dasexportações do país cumpria os padrões necessários. Aproximadamente 20 por cento da área agrícola da China foiatingida por enchentes ou secas neste ano, alimentando temoressobre uma queda na safra de grãos do país pela primeira vez emtrês anos, o que promoveria um aumento nos preços e dainflação. (Por Vivi Lin e com reportagem adicional de Nao Nakanishiem Hong Kong)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.