Paul Yeung/WashingtonPost/Bloomberg
Paul Yeung/WashingtonPost/Bloomberg

China apresenta padrão de segurança de dados

País deve lançar nesta terça-feira, 8, proposta com resposta às tentativas dos EUA de eliminar chinesas de redes de comunicações

O Estado de S.Paulo

08 de setembro de 2020 | 05h00

A China pretende lançar sua própria iniciativa para definir padrões globais de segurança de dados, opondo-se aos esforços dos Estados Unidos para convencer outros países a deixar empresas chinesas fora de suas redes tecnológicas e de comunicações.

O ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, deve anunciar a iniciativa nesta terça-feira, 8, em um seminário a ser realizado em Pequim sobre governança digital global, segundo fontes com conhecimento sobre o assunto.

Dados os riscos crescentes para a segurança de dados que exigem uma solução global, “o urgente agora é formular regras e normas globais que reflitam as aspirações e interesses da maioria dos países”, disse uma nota informativa sobre a nova iniciativa que os diplomatas chineses forneceram a consulados estrangeiros, documento ao qual o The Wall Street Journal teve acesso.

Nos últimos meses, a administração Trump tomou medidas para restringir o que descreve como ameaças à segurança nacional de empresas de tecnologia chinesas, como a Huawei, e aplicativos como TikTok e WeChat  As autoridades chinesas acusam os Estados Unidos de impor um padrão duplo e de tentar sabotar os esforços de expansão das empresas do país.

Com o título Iniciativa Global sobre Segurança de Dados, o programa chinês sugere aos outros países abordar a segurança de dados de uma “maneira abrangente, objetiva e baseada em evidências”. A ideia é manter uma cadeia de suprimentos aberta, segura e estável para tecnologia, serviços de informação e comunicação, conforme a minuta do documento.

Samsung vai fornecer 5G para Verizon

A sul-coreana Samsung assinou um contrato de US$ 6,65 bilhões para fornecer à americana Verizon equipamentos de tecnologia 5G.

O acordo da Samsung com a Verizon vai até o fim de 2025 e cobre principalmente a infraestrutura 5G, embora inclua também vendas, instalação e manutenção de equipamentos de rede, segundo a empresa sul-coreana.

O acordo com a Verizon pode ajudar a impulsionar a Samsung no segmento de 5G, especialmente nos EUA, disseram analistas do mercado. A adoção na nova geração de tecnologia deve se expandir significativamente este ano, após o lançamento do primeiro smartphone da Apple habilitado para ela.

Com 13% do setor, a Samsung é a quarta empresa global no fornecimento de equipamentos para 5G, aponta a consultoria Dell’Oro. As três primeiras posições são ocupadas pela chinesa Huawei, pela sueca Ericsson e pela finlandesa Nokia. / DOW JONES NEWSWIRES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.