Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

China aumenta juros pela 4a vez este ano

A China aumentou as taxas de juros pelaquarta vez este ano para estabilizar a inflação depois que ospreços ao consumidor subiram em julho no ritmo mais rápido emmais de uma década. O banco central da China informou que está elevando a taxaque os bancos pagam por depósitos de um ano em 27 pontosbásicos, para 3,60 por cento. Enquanto isso, a correspondentesobre empréstimos subiu 18 pontos básicos, para 7,02 por cento,ante 6,84 por cento anteriores. Os aumentos entram em vigor na quarta-feira. Apesar do momento da elevação dos juros ter sido umasurpresa, a decisão em si não foi inesperada, apesar daturbulência nos mercados globais que fez o Federal Reserve areduzir a taxa de redesconto e manter perspectiva de corte nataxa dos Fed Funds. A maioria dos economistas previa os aumentos, ambos parafrear o incentivo aos poupadores de tirar o dinheiro do banco,onde as taxas de depósito real são negativas, para colocá-lo noaquecido mercado acionário do país. "O PBOC está preocupado sobre uma queda das taxas dedepósito real motivando um fluxo de recursos para ações. Nãoacreditamos que seja uma resposta para o forte crescimento (dopaís)", disse Ben Simpfendorfer, economista do Royal Bank ofSotland em Hong Kong. Apesar da economia chinesa ter se expandido em 11,9 porcento no segundo trimestre em relação ao mesmo período do anopassado, Lin Songli, analista da Guosen Securities em Pequim,concorda que ao elevar a taxa de empréstimo menos que a taxa dedepósito, o banco central está sinalizando que não tem intençãode botar um freio no crescimento. "A medida tem como alvo principal a inflação e asautoridades podem ter chegado à conclusão que o crescimento doinvestimento não é um grande problema agora", disse Lin. Os preços ao consumidor na China subiram 5,6 por cento noano até julho, ritmo mais rápido desde o início de 1997. Ainflação foi puxada por um aumento nos custos de porcos, ovos eoutros alimentos. Apesar da inflação que exclui os preços de alimentos tercaído 0,9 por cento em julho, as autoridades monetárias estãopreocupadas que o aumetno de preços já esteja se espalhandopela economia. "Também serve para frear o rápido crescimento da bolsa devalores, que está em picos históricos e subindo muito rápido",disse Lin. O principal indicador da bolsa de Xangai acumulavalorização de 80 por cento este ano. Em 2006, a valorizaçãofoi de 130 por cento. (Alan Wheatley)

REUTERS

21 de agosto de 2007 | 08h58

Tudo o que sabemos sobre:
MACROCHINAJUROS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.